O ano da mudança

É muito comum, no final do ano, antes das resoluções de ano novo, ter certo sentimento de saudosimo pelo ano que passou. Eu, porém, não me sinto exatamente assim com 2008.

Para mim, foi o ano da mudança. O ano “divisor de águas” da minha vida. E esse título não se deve a qualquer acontecimento específico, e sim o conjunto de vários. Mudanças de pontos de vista, mudanças de comportamento, mudanças de reações, mudanças em diversos “níveis” pessoais.

Mas também não se trataram de mudanças fáceis, nem simples. Para mim, vendo-me de “dentro” as mudanças comportamentais, sobretudo profissionais são extremamente nítidas. Eu nunca notei uma diferença tão grande em mim em tão pouco tempo. Vejo-me há um ano e não reconheço-me!

Como diria meu amigo Calvin:

“A vida é como topografia, Haroldo. Há picos de felicidades e sucessos… pequenos campos da chata rotina… e vales de frustrações e fracassos…”

Meu ano foi cheio de vales, com picos raros. Agora eu to num campo enorme cheio de tédio, mas repleto dos frutos que plantei durante esse tempo. (caralho que reflexão)

Um beijo me liga!

ou como diriam les français, “bisous, téléphonez-moi!

Anúncios