Resoluções de férias

Calma, ainda não estou de férias. Pelo menos não de todas as disciplinas.

Ainda tenho que escrever uma minibiografia (socorro!) e se Zeus quiser, arrumar só coisinhas na monografia e no projeto depois do dia 2 de julho, e dia 3 estamos na finalíssima de Épica.

Mas estou começando a perceber que minhas horas livres por dia, em alguns dias da semana estão dobrando. Tipo pra 14h por dia. E quando a influenza passar, não fará mais sentido dormir 12h dessas 14h. Já diria minha avó, cabeça vazia é oficina do diabo! Portanto, resolvi fazer umas resoluções de férias, para ocupar meu tempo, e lá vão:

  1. Manter o peso perdido durante a monografia
  2. Arrumar meu quarto
  3. Ler literatura (sim, literatura, nada de teoria da comunicação)
  4. Fazer as unhas
  5. Cortar o cabelo
  6. Fazer uma limpa no meu guarda-roupa
  7. Fazer exercícios (haeuaheuaheuaheuahe muito boa essa)
  8. Economizar R$50 para gastar naquele brechó chique
  9. Fazer umas bijus.
  10. Arranjar um plano de vida (ótima essa)

Será que dá pra fazer tudo? Hehehehe veremos.

Enquanto isso:

Do blog Salmonelas, da Gazeta do Povo 

Adoro meu cérebro. Vejam, ele quica…

Tem cheirinho de morango, serve como borracha…

Onde você conseguiu ele?

Veio no chicletes…

Anúncios

Contabilizando

Caraca, brou! Esse ano tá muito diferente na minha vida. Resolvi contabilizar tudo, pra fazer um balanço de meio de ano.

Anos: 20
Quilos a menos: 3
Monografias feitas: 1
Pedidos de Casamento: 0
Participação em picuinhas na Pontifícia: 0
Crises de asma: 29
Crises de choro: 17
Crises de riso: 33
Crises de riso seguidas de crises de asma: 8
Porres homéricos: 2
Relacionamentos amorosos iniciados: 1
Relacionamentos amorosos terminados: 2
Relacionamentos amorosos mal resolvidos: 1
Pessoas legais que conheci: 25
Pessoas chatas que conheci: 4
Pessoas que eram legais e viraram chatas: 10
Pessoas que não fazem falta na minha vida: mais de 10
Pessoas que pareciam chatas mas na verdade eram legais: 5
Viagens inesquecíveis: 2 (a de ano novo não conta, pq voltei dia 31)
Saldo de dívidas: > R$ 2.000
Saldo positivo na conta: R$ 0,11
Línguas estrangeiras novas: 1
Livros lidos: + de 20
Bombinhas para asma: 4
Discos para asma: 4
Cobertores na minha cama esta noite: 4
Travesseiros: 2
Quantidade de peças de roupa no momento: 7
Temperatura em Curitiba amanhã, em ºC: 4
Amigos no orkut: 502
Amigos na vida real: – de 10
Amigos que foram embora para SP: 1
Centímetros a mais de quadril: 4
Faculdades em curso: 2
Média de horas livres por dia durante a semana: 7
Média de peso diário da bolsa, em kg: 7
Participação em eventos: 3
Publicação de fotografias Agência de Notícias do Estado: 1
Cafés por dia: 5
Métodos de paquera infalíveis: 3

fiiimmm
Se eu lembrar de mais alguma coisa, coloco.

KT Tunstall definitivamente me entenderia

Throw me a rope

I want you between me and the feeling i get when i miss you,
but everything here’s telling me i should be fine,
so why is it so, it bothers below that im missing you every time?

i got used to you whispering things to me into the evening,
we followed the sun, and it’s colours, and left this world,
it seems to me, that i’m definately, hearing the best that i’ve heard.

so throw me a rope, to hold me in place,
show me a clock, for counting my days, down,
cos everythings easier when you’re beside me,
come back and find me,
cos i feel alone.

and whenever you go it’s like holding my breath under water,
i have to admit that i kinda like it when i do,
oh but i got to be, unconditionally,
unafraid, of my days, without you,

so throw me a rope, to hold me in place,
show me a clock, for counting my days, down,
‘cos everything easier when you’re beside me,
come back and find me,
whenever i’m falling, you’re always behind me,
come back and find me,
cos everythings easier when you’re beside me,
come back and find me,
cos i feel alone

A gente faz mais ou menos assim:

“Hoje tenho que entregar meu reletório sobre o cérebro na escola”

“Vê meu recurso visual? Eu cozinhei macarrão e coloquei nesse saco de papel. Isso não parece um cérebro?”

“Ugh!”

“Bom, acho que estou pronto”

“Você já escreveu o seu relatório?”

“Nah. Eu emprestei o dicionário de bolso da mãe. Vou fazer isso no ônibus.”