Falando mal de sentimentos


“Procuro. Procuro alguém que realmente me faça feliz! E acabo ficando comigo mesmo.”
(Rodrigo Sasi)
Até parece a frase de algum sábio pensador filósofo. É do meu amigo Rodrigo Sasi. Essa frase me tocou e me fez refletir. Me sinto igual.
Às vezes tenho vontade de chorar, e ter alguém para ligar e ouvir do outro lado um “eu amo você”. Não um “eu amo você” de amigos, nem de mãe, vocês me entendem.
Mas na maioria das vezes… God, eu simplesmente amo a minha própria companhia. Nos últimos tempos, ninguém mais que eu tem sido tão agradável companhia.

Ninguém além de mim ri das mesmas piadas infames e bobocas que nem eu.
Ninguém além de mim adora ficar de madrugada em frente ao computador cantando doom metal e bebendo coca-cola.
Ninguém além de mim chora ao escutar uma música que fala perfeitamente sobre apenas eu.
Ninguém além de mim adora sentir um perfume de jasmim num final de tarde nostálgico.
Ninguém além de mim fica feliz apenas em observar o pôr-do-sol da janela do 9º andar.
Ninguém além de mim sente a alegria mais sincera do mundo ao tomar um frutilly e sair cantando bem alegre.
Ninguém além de mim se encanta e se emociona com coisinhas tão simples.
Ninguém além de mim adora caminhar sozinha e pensar e repensar bobeiras da própria vida.
Ninguém além de mim abre uma garrafa de champanhe sem álcool e bebe inteira enquanto dá risada e brinda com o ar.
Ninguém além de mim fica falando sozinha para escutar a própria voz.
Ninguém além de mim tem tantas piras internas consigo mesma.
Ninguém além de mim adora cozinhar pra si mesma.

Procuro. Procuro alguém que realmente me faça feliz! E acabo ficando comigo mesmo.
Eu me faço muito feliz, obrigada.
Folheio meus escritos de meses atrás. Me vejo sozinha e perdida. Me vejo sentido falta de algumas pessoas que hoje me parecem tão patéticas.
Não preciso de você. Não preciso de vocês. Eu tenho o que preciso.
Uns pouquíssimos amigos pelos quais vale a pena por a mão no fogo. E eu mesma. Meu amor próprio. Eu acho que me amo como ninguém nunca foi capaz de me amar. E sinceramente acho que nunca será.
Todos os sentimentos que as pessoas procuram em relacionamentos eu tenho em mim mesma.

E tem outra coisa. Essa música é a minha música da semana:

Katatonia – Don’t tell a soul
“I live all for this thing that I heard someone sing
When you have no one, no one can hurt you.”

Parece que Nyström, Norrman e Renkse leram meus pensamentos ao escrever essa frase.
Malditinha ouve: Tiamat – A deeper kind of slumber
Anúncios

3 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Luccas
    ago 21, 2007 @ 15:06:00

    Eu preciso aprender a gostar mais de mim também…XP Ainda to naquela de procurar alguém…XD
    A música é legal, mas não curti o vocal…XDDDD
    Bjo=*

    Responder

  2. Rodrigo
    ago 21, 2007 @ 22:23:00

    ficar comigo mesmo. amor-proprio. O primordial. Antes de tudo. Pq se nao amarmos nos mesmos, quem vamos amar?

    Adorei a “homenagem”. Fiquei feliz!
    Obrigado.
    Uma querida que ta no meu core. com
    certeza!

    Fica bem!

    Responder

  3. Mozer
    ago 21, 2007 @ 23:34:00

    Obrigado por favoritar!

    Eu não escrevo sobre amor. Nunca. Eu, sim, sigo os rumos do meu fluxo de consciência organizado. Legal, sabia? E… Bom, deixa pra lá.

    Tópico anterior: o livro “Primo Basílio” é fantástico. Com certeza, melhor que o filme. Leia que você se divertirá.

    Meu carinho…
    ^^

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: